A prosa poética ilustrada de Laura Barbeiro

Poesia e ilustrações

A prosa poética ilustrada de Laura Barbeiro

A artista plástica Laura Barbeiro abre sua exposição Dentes de(leite): narrativas visuais – contemplada com o Prêmio Nelson Seixas 2017 na modalidade Artes Visuais – nesta sexta-feira, dia 1º de dezembro. O trabalho, uma mostra de ilustrações acompanhadas por pequenos textos em prosa poética, poderá ser conferida pelo público no período de 4 a 21 de dezembro, no estúdio fotográfico de Jorge Etecheber, no bairro Santa Cruz, em Rio Preto.

Laura“A exposição remete ao imaginário infantil e por essa razão, inevitavelmente, o meu processo criativo tenha um quê de autobiográfico. Mas eu acredito que seja algo mais amplo, no sentido de que faço essa conexão com a infância de um modo geral e trago pra minha criação um universo lúdico entremeado de narrativas visuais”, comenta Laura.

Esse universo lúdico citado pela autora é imerso numa ponte entre imagem e palavra. Ambas, fundidas e ao mesmo tempo em paralelo, levam ao caminho de uma narrativa costurada pela sua poética apoiada em imagens. Primeiro vieram os textos, 50 deles ao todo. Pequenos flahs e reminiscências que evocam no adulto a vida vivida em plenitude, por meio dessa conexão direta com o nosso imaginário. Imagem e palavra que criam empatia imediata com as crianças, tanto as de “agora” quanto aquelas que já fomos um dia.

Nesse jogo inventivo proposto por Laura, as narrativas visuais são criadas entre imagens, confeccionadas com técnica mista de desenho, pintura e colagem sobre papel. “Cada uma dessas ilustrações encerra em si uma mensagem, assim como os textos. Um complementa o outro. São as divagações da cabeça de uma criança, como reflexões sobre a vida, mas dentro daquele universo próprio de uma criança, simples, mas que ao mesmo convida à reflexão”, diz a artista.

LauraTrecho de “Janela”, um dos textos expostos por Laura – chamados por ela de “notinhas dente de leite” -, exemplifica bem a sua proposta:

“(…)Eu sei que quando ficamos grandes começam a nascer os dentes de leite (e mais grandes ainda, perdemos os dentes de leite). Ficamos com janelinhas na boca, igual estou agora. E quando ainda somos pequenos nossos dentes tem serrinhas pra morder. Depois, elas somem. E nascem dentes na gente que se chamam caninos – mas eles não são cães”. Quando cresceu e pôs dentadura, estava banguela do mesmo jeito”. E a ilustração para esta narrativa? Ora, uma criança ao lado de seu cãozinho acenando de dentro da boca com as tais “janelinhas” entre os dentes.

Durante o período em que os trabalhos ficarão expostos no estúdio acontecerão mediações entre Laura e alunos de escolas de Rio Preto, dentro da proposta do Prêmio Nelson Seixas de difusão das ações culturais.

A AUTORA

Laura Barbeiro nasceu em Rio Preto, em 1988, e formou-se em Artes Visuais pela Unicamp, em Campinas, em 2012. A artista possui trabalhos que permeiam entre a imagem e a palavra, seja na criação de personagens fantásticos e criaturas tridimensionais, ou mesmo em suas ilustrações, pinturas e desenhos.

LauraEm 2016, executou o projeto Olhar Marginal, em parceria com o poeta Ubirathan do Brasil, através do edital Nelson Seixas, levando ilustrações e poesia para os muros das avenidas marginais de Rio Preto.

Em outubro deste ano, criou o mural Histórias do Fio do telefone, realizado por meio do edital de Ocupação Artística do Sesi. Confeccionado no paredão do ginásio esportivo do Sesi de Sumaré, o mural tem a dimensão de 24 x 5 metros. N pintura dele, que levou seis dias no total para pintar, Laura contou com a ajuda da amiga Miriam Kajiki e do seu irmão mais velho, André de Paula.

Através de suas criações arrumou uma maneira de transpor a imaginação de alguém que sobe pelos ares se não a puxarem para baixo de vez em quando. Para conhecer mais sobre o seu trabalho artístico, seu blog (www.invisivelcolorido.blogspot.com) expõe virtualmente um pouco do que se passa em sua cabeça pensante.


LauraSERVIÇO

Exposição Dentes de(leite): narrativas visuais, da artista plástica Laura Barbeiro.

Abertura: 1 de dezembro, das 19h às 22h

Exposição: de 4 a 21 de dezembro

Segunda a sexta-feira, das 14h às 18h

Entrada franca

Onde: Estúdio Jorge Etecheber

Rua: Silva Jardim, 4053 – Santa Cruz, São José do Rio Preto

29/11/2017

29/11/2017 11:12

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *