Bombeiro transforma parque público em uma sala de aula e ensina crianças no Paquistão

BEM NO MUNDO

Bombeiro transforma parque público em uma sala de aula e ensina crianças no Paquistão

Em um país onde a maioria das crianças não termina a escola, um homem decidiu que ele mesmo ensinaria aqueles que são deixados para trás. Mohammed Ayub faz de um dos parques de Islamabad (Paquistão) uma escola informal há mais de 30 anos, segundo a Al Jazeera (maior emissora de televisão jornalística do Catar e a mais importante rede de televisão do mundo árabe). Ele vai ao parque às 3 da tarde, todos os dias, para ensinar cerca de 200 alunos a ler, escrever e muito mais. Eu vejo as crianças vagando pelas ruas de Islamabad e penso comigo o quão diferente seriam suas vidas se eles também pudessem adquirir uma educação, diz.

Apenas 50% das meninas e 60% dos meninos são matriculados na escola primária no Paquistão, de acordo com a Unicef. Além disso, dos inscritos, cerca de dois terços das meninas e metade dos meninos não terminam os estudos.  As crianças que não estão na escola estão trabalhando para sustentar suas famílias. Estima-se que 3,3 milhões de crianças com idade inferior a 14 anos trabalham no Paquistão. No vídeo da Al Jazeera, um garoto afirma: Nós somos filhos de pais pobres. Sem uma educação vamos vaguear pelas ruas limpando lixo. Não é o nosso destino limpar o lixo. Nós também queremos ser alguém.

Mestre Ayub, como seus alunos o chamam, ajuda-os a se preparar para os exames do governo, para que eles possam ir para o ensino superior ou conseguir um emprego decente. O objetivo de Ayub é fazer com que as crianças voltem para o sistema de ensino regular, por isso ele ensina matérias que são ensinadas nas escolas formais, como Inglês, Matemática, Urdu, História e Estudos Sociais.

Se não fosse o Mestre Ayub eu ainda não seria capaz de ler ou escrever, estaria apenas recolhendo madeira, disse um estudante à agência de notícias local. A melhor parte é que alguns dos ex-alunos de Ayub mais tarde voltam a dar aulas para os alunos mais jovens. Escolas informais como a de Ayub tem aparecido em outras regiões do mundo, nos parques e nas ruas, em áreas onde muitas crianças não têm acesso à educação. A última esperança de Ayub é a construção de uma escola de tijolo e argamassa, onde ele possa continuar a ensinar. Se queremos que o Paquistão prospere, devemos ensinar uma palavra para uma criança todos os dias, disse ele. Suas irmãs, irmãos, vizinhos, não importando quem esses analfabetos são ou onde estão, ajude-os”, finaliza.


Fonte: Huffingtonpost.com
Tradução: João Vitor Boni/ Notícias do Bem
Edição: Vânia Nocchi/ Notícias do Bem

13/04/2016

12/04/2016 17:08

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *