Cantora Zélia Duncan faz show em Catanduva e Birigui neste mês

Shows em unidades do Sesc do noroeste paulista fazem parte da turnê que celebra os 40 anos de carreira da artista

Na estrada celebrando seus 40 anos de carreira, a cantora e compositora Zélia Duncan se apresenta com sua banda em duas unidades do Sesc do noroeste paulista neste mês de julho. O primeiro show será no dia 14, às 20h, no Sesc Birigui, e o segundo dia 15, às 20h, no Sesc Catanduva, dentro da programação do festival Catandupedras, dedicado ao Dia Mundial do Rock (13 de julho).

Em sua turnê comemorativa, a intérprete da icônica “Catedral” apresenta um show recheado por músicas de todas as fases de sua carreira, entre composições próprias, canções de seu repertório afetivo e hits colecionados em sua trajetória de sucesso.

Show Zélia Duncan no Festival MPBrasil Rio Preto Foto: Ricardo Boni 19/04/2015

No palco, Zélia Duncan é acompanhada por Ézio Filho (direção musical e baixo), Webster Santos (violão, guitarra e cavaco), Léo Brandão (teclado e acordeon) e Christiano Galvão (bateria). Ela promete uma apresentação recheada de sucessos e surpresas, para todo mundo dançar e curtir.

Trajetória

Zélia Duncan começou a cantar profissionalmente em 1981 e se tornou nacionalmente conhecida com a música “Catedral”, em 1995, após gravar na WEA Music. Ao longo de 40 anos de carreira lançou 15 discos, cinco DVDs solo, ganhou vários prêmios, discos de ouro e de platina, participou de trabalhos junto a grandes nomes da música brasileira, realizou vários projetos importantes.

A cantora fez parte da nova formação do grupo Os Mutantes (2007), gravou o DVD “Amigo é casa” com a cantora Simone (2008), atuou como atriz em “Totatiando” (2011), “Alegria, Alegria” (2017) e “Mordidas” (2018), além de gravar o CD “Tudo Esclarecido” (2013), com parte da obra de Itamar Assumpção. Lançou um CD de sambas intitulado “Antes do Mundo Acabar” (2015), com músicas de Dona Ivone Lara, Moacyr Luz, Pretinho da Serrinha e Paulinho da Viola, além de parcerias dela com Xande de Pilares, Arlindo Cruz, Ana Costa e Zeca Baleiro.

Homenageou Milton Nascimento no disco “Invento +”, acompanhada somente pelo maestro e cellista Jaques Morelenbaum. Em 2019, após dez anos sem um disco pop autoral, lança “Tudo É Um”, quando mais uma vez concorreu ao Grammy Latino. No mesmo ano, com a parceira musical Ana Costa, lança o álbum-manifesto “Eu Sou Mulher, Eu Sou Feliz”, reunindo 16 cantoras e instrumentistas mulheres.

Entre 2015 e 2017, foi colunista semanal do jornal O Jornal O Globo. Também em 2015, passou a assinar o roteiro do Prêmio da Música Brasileira, por cinco anos consecutivos. Em 2020, gravou com Pedro Franco o álbum “Minha Voz Fica”, com músicas de Alzira E, lançado em fevereiro de 2021. Ainda em 2020 compôs 15 músicas com Juliano Holanda e gravou em casa o álbum “Pelespírito”, lançado em maio de 2021.

Serviço:
Zélia Duncan no Sesc Birigui
Quando: 14 de julho, às 20h
Quanto: de R$ 9 a R$ 30
Venda online: sescsp.org.br/birigui

Zélia Duncan no Sesc Catanduva
Quando: 15 de julho, às 20h
Quanto: de R$ 9 a R$ 30
Venda online: sescsp.org.br/catanduva

Texto: Harlen Felix / Notícias do Bem
Foto Capa: Roberto Setton / Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *