Historias de macaquices - Mandingueiras da Pracinha

Com 65 horas de atividades culturais gratuitas, o FrESTA inicia sua programação

Promovendo debates necessários sobre a literatura e outras linguagens culturais, o FrESTA – Jornada Literária Apocalíptica inicia sua extensa programação hoje (19/05), oferecendo ao público mais de 65 horas de atividades culturais gratuitas com o propósito de mostrar que a literatura vai muito além do livro.

O festival acontece até domingo (23), com mais de 65 horas de programação que complementam diversos segmentos literários, e também contará com apresentações e atividades formativas de teatro, cultura urbana, cultura negra e popular, patrimônio imaterial, dança e música. O público pode participar através das mídias digitais da Companhia: YouTube, Facebook e Instagram (@cia.apocaliptica).

 “O FrESTA é um festival que aborda diferentes vertentes e manifestações culturais, de modo que te faz se encontrar dentro da programação. Seu formato completamente online nos permite encontrar quem não encontraríamos, ir à lugares  e saber sobre o fazer artístico em São José do Rio Preto e Brasil. A programação conta com grandes nomes da literatura e com espetáculos e atividades únicas, tudo gratuito e sem sair de casa”, comenta Kiara Terra, diretora artística do FrESTA.

Com realização da Cia. Apocalíptica, o FrESTA acontece com recursos da Lei Aldir Blanc São José do Rio Preto, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

“Desde a extinção da Bienal do Livro nossa cidade está praticamente órfã de incentivos e eventos literários, nesse sentido, pretendemos que o FrESTA se consolide como um dos principais festivais de fomento cultural/literário, abrangendo diversos segmentos artísticos e levando arte, informação e entretenimento ao público em geral” complementa Lawrence Garcia, diretor geral do FrESTA.

Contação de histórias

A Loja de Relógios – Kika Farias

Uma das categorias principais do festival é a “Contação de história”, com quase vinte apresentações diferentes e com contadores que trazem diversidade temática e metodológica para o evento, como: “O pássaro da chuva”, de Jimmy Brown; “Emiliumas Aventuras”, da Cia O Que Será de Nós?!; “Histórias de macaquices”, da Mandingueiras da Pracinha; “Histórias da Índia”, do TeceContos; “Vamos juntas”, da Educand”Arte; “Kamishibai Brasil – História na Palma da Mão”, da contadora Sandra Lane; “Histórias Antiprincesas”, do Espanhol Minuto; “Conta Maria”, da Maria Teixeira Campos; “O ovo ou a galinha”, do contador Glaucio Camargos em parceria com a Cia. Apocalíptica (em libras); “A Loja de Relógios”, Mimos de Histórias; “Contos de distrair e brincar com a morte”, da Mafuane Oliveira da Cia Chaveiroeiro; e “Yabàs Divindades do Candomblé”, com Eu + Tu. A Cia. Apocalíptica também contará algumas histórias como: “O Pequetito”, O Príncipe Medroso”, “Os dois reis” e “Boi Tatá”.

Literatura que ecoa

Como o FrESTA também é um festival multi linguagens, por isso abordará alguns espetáculos e apresentações que envolvem teatro, cultura urbana, cultura negra e popular. A Cia. Bardos de Teatro apresenta diariamente, às 16h30, o “Pequeno”, história gravada que em cinco episódios, inspirada no livro Moby Dick, narra a vida de Herman, um grande escritor que há muitos anos navega no mundo das águas para fugir de sua tristeza.

Na quarta (19), às 21h, A Casa de Criar apresenta o projeto “Mural para um corvo e um gato, pretos” que propõe um ‘passeio visual’ pela obra do poeta e escritor estadunidense Edgar Allan Poe. Na quinta (20), também às 21h, a Cia. do Santo Forte faz apresentação do espetáculo “Zona Contaminada”, com texto teatral de Caio Fernando Abreu e classificação para maiores de 18 anos. E na sexta (21), também às 21h, a banda Trovalírica apresenta o “Show Trovalírica”.

Lançamento de Livros

Autores independentes aproveitam o espaço do festival para lançar suas obras recentes, como o escritor Vicente Serroni, que na quarta-feira (19), às 19h lança o “Variantes Silenciosas”. Já na sexta-feira (21), também às 19h, Camila Puni disponibiliza o livro/ebook “Zine feminista: datilografias de fúria & saudade”, no qual aborda a experiência gramatical para encontrar a língua falada entre as zineiras (quem faz zines). E no último dia de evento, domingo (23), a poeta paulistana Susanna Busato lança o “Moldura de lagartas”, às 19h, livro vencedor do Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo, o PROAC 2019 e que estabelece o diálogo com essa matéria complexa que é a reflexão sobre a poesia.

Áudio livro/ Vídeo poema

O áudio também é uma das vertentes que faz parte do FrESTA, com isso serão apresentadas duas atividades que acontecem na quarta-feira, dia 19, às 11h,  com o áudio livro “ Confissões sem tortura”, da Juliana Medeiros e na sexta-feira e domingo (21 e 23), às 11h, com o Colapso Mpeg, do artista Juny KP.

Podcast

Durante todos os dias do festival, às 12h, acontece um podcast diferente na programação e quem abre o evento na quarta (19) é Bruna Venâncio com “A culpa é do blues”. Na quinta-feira (20), Nicole Aum, de São Paulo, dá continuidade com o programa “Nomear para Combater – uma tentativa de organizar a raiva para virar pensamento”. Na sexta (21), o coletivo Sutilezas Poéticas apresenta o “NINHO: colo e literatura para bebês” e no sábado (22), Bel Mayer, realiza o podcast “- O poético, o político e o educativo do direito humano à literatura”. Finalizando a programação, no domingo (23) Carol Manzatto debate acerca do tema “Paulo Freire: Leitura de mundo e Leitura da palavra”. Os podcasts possuem tradução simultânea em libras.

Chamamento Aldir Blanc

Outras atividades multilinguagens também farão parte do FrESTA, como a contação de história com bonecos “O Menino da Banca”, de Akila Moreira, que acontece na quarta-feira (19), às 16h. Já às 20h, o dançarino David Balt apresenta a performance “Sobra Viva”. Na quinta (20), às 16h30, Beto Brandão realiza o “Cantação de histórias”, um jeito divertido e diferente de contar histórias.

Janelas para uma Mulher

No sábado (22), às 15h, a Casa de Criar realiza o projeto “Rodinha Literária: Lygia Bojunga e a Bolsa Amarela”, que tem a intenção de incentivar a leitura e fomentar o hábito de ler. Às 20h, acontece o show “De Longe Também Existe Mágica”, do mágico Kadu Ilusionista e às 21h, a apresentação teatral do “Janelas para uma Mulher”, da Cia Trilhas da Arte no qual coloca em discussão qual a função da Arte e do Teatro em tempos atuais. E no domingo (23), a companhia também apresenta o espetáculo “O Pequeno Senhor do Tempo”, às 16h.

Atividades Formativas

São 30 atividades formativas que compõe a grade do Festival, o público ainda pode se escrever gratuitamente em alguns projetos através do site do FrESTA (https://ciaapocaliptica.com/fresta/), como na atividade “Corporagem de Jardinosias”, do Trio Corporagem de Jardinosias, que acontece nos dias 19 e 20 das 09h às 11h30, com o propósito de provocar através de poemas, poesias e literatura, o movimento a fim de abrir frestas para as sensações e emoções serem transmutadas em dança, teatro, escrita espontânea e performances.

Fluindo na Dança com Bambolês

A oficina “Dança com Bambolês”, com o Coletivo Órbita, de Montenegro, que acontece no dia 19, às 13h, também está com as inscrições abertas, assim como o “Poesia Sonora”, de David Biriguy, de Belo Jardim, Pernambuco, que no dia 20, a partir das 13h, realiza a atividade que propõe a produção e gravação de textos poéticos com a inserção de elementos musicais e sonoros utilizando telefones celulares para captação de áudio e softwares livres para mixagem.

Além do minicurso “Abaixo a moral e os bons costumes!: Protagonistas controversas que amamos odiar (ou que odiamos amar)”, acontece no dia 21, das 09h às 11h, com Bruna Venâncio. Também na sexta-feira, a partir das 13h, o workshop “Zines Digitais para Professorxs”, farão com que os participantes sejam capazes de compreender o conceito de zines digitais, conhecer sua trajetória na literatura marginal, analisar obras visuais que trabalham com estética xerográfica (zinística) e aplicar essa ferramenta metodológica em seu cotidiano educativo. 

O público poderá participar também do workshop “Escrita de Biografias”, do jornalista e escritor Raul Marques, que acontece no dia 22, às 09h. Já às 12h, Akila Moreira, realiza a oficina “O teatro dos bonexcluídos”, no qual aborda a utilização de “bonecos” marginalizados e explorar com criatividade técnicas e propostas cênicas diferentes. E das 13h às 15h, a educadora Patrícia Carvalho e Monelise Vilela ministra “O lado negro da França: um panorama das artes francófonas de origens africanas”, com objetivo de discutir e contrapor a presença homogênea do referencial artístico-intelectual branco e eurocentrado em relação à invisibilidade e ao apagamento sistêmico do registro artístico-intelectual negro e africano no de expressão francófona. As inscrições vão até o dia 19 e são gratuitas.

Clube do Livro

Outra atração que faz parte das Atividades Formativas do FrESTA é o Clube do Livro,  que acontece em três dias e no qual o público, junto com o palestrante, realizarão um debates sobre um determinado livro ou temática. Para quem quiser se inscrever e participar, basta acessar o link das Atividades Formativas. As reuniões acontecerão nos dias 19, 21 e 23, sempre às 15h, pelo zoom, mas também será transmitido pelo canal no Youtube da Cia. Apocalíptica, para acesso de todos.

No dia 19 de maio, o bate-papo começa com Bruno Souza, pedagogo pela Faculdade do Educador – FEDUC, falando sobre o livro “Ideias para adiar o fim do mundo”, adaptação de conferências realizadas por um dos maiores pensadores indígenas, Ailton Krenak. Já no dia 21, Ketlin Santos, que atua há 11 anos na promoção dos direitos humanos e no enraizamento comunitário e na liderança feminina, conversa sobre o livro “O Sol na Cabeça”, do autor Geovani Martins, que descreve em 13 contos autobiográficos sua experiência morando na periferia.

E para finalizar, dia 23, a estudante de pedagogia e educadora social, Rafaela Nunes, realiza a roda de debate acerca do livro “Hibisco Roxo”, ficção de Chimamanda Ngozi Adichie, que narra os efeitos da colonização branca na África, fazendo com que o leitor conheça a realidade política, educacional e social do país.

Inventário de oralidade

Espaço para debates e conversas com mestres da cultura popular e do patrimônio imaterial que através da oralidade transmitem seus conhecimentos como verdadeiros “Griots” contemporâneos , o FrESTA realiza o “Inventário de oralidade”, na quinta-feira e sábado, às 19h, com Marlene Massaroca e Eddy Angoleiro respectivamente.

Feira do livro

Muitos artistas que estão participando do festival estão disponibilizando livros para venda, usando o FrESTA como portal de conexão desses autores independentes com o público em geral. Os livros estarão disponíveis para venda no instagram da Cia. Apocalíptica (@cia.apocaliptica) durante todo o festival.

Sarau

Para o encerramento do FrESTA traremos a retomada do Sarau Urbano, evento que marcou o movimento cultural riopretense em sua história recente e que agora será realizado em formato online, com duração de 1h transmitido ao vivo pelas mídias sociais da apocalíptica.

Programação completa:

Jimmy Brow

Quarta-feira, 19

09h – Corporagem de Jardinosias (Atividades Formativas)
Trio Corporagem de Jardinosias – São José do Rio Preto

11h – Confissões sem tortura (Áudio Livro)
Juliana Medeiros – São José do Rio Preto

11h30 – O pássaro da chuva (Contação de Histórias)
Jimmy Brown – Bertioga/SP

12h – A culpa é do blues (Podcast)
Bruna Venâncio – São José do Rio Preto

13h – Fluindo na Dança com Bambolês (Atividades Formativas)
Coletivo Órbita – Montenegro/RS

15h – Clube do Livro – Bruno Souza
Livro “Ideias para adiar o fim do mundo”

16h – Projeto: O Menino da Banca (Chamamento Aldir Blanc)
Akila Moreira – São José do Rio Preto

16h30 – Pequeno – Episódio 1 (Literatura que ecoa)
Cia. Bardos de Teatro – São José do Rio Preto

17h – Emiliumas Aventuras (Contação de Histórias)
Cia O Que Será de Nós?! – São José do Rio Preto

19h – Variantes Silenciosas (Lançamento de livro)
Vicente Serroni – São José do Rio Preto

20h – Sobra Viva (Chamamento Aldir Blanc)
David Balt – São José do Rio Preto

21h – Um mural para um corvo e um gato, pretos (Literatura que ecoa)
LINO’ 96 – São José do Rio Preto

Quinta-feira, dia 20

09h – Corporagem de Jardinosias (Atividades Formativas)
Trio Corporagem – São José do Rio Preto

11h30 – Os dois reis (Contação de histórias)
Cia Apocaliptica – São José do Rio Preto

12h – Nomear para Combater-uma tentativa de organizar a raiva para virar pensamento (Podcast)
Nicole Aum – São Paulo

13h – Poesia Sonora (Atividades Formativas)
David Biriguy – Belo Jardim/PE

15h – A importância do ler e contar histórias (Atividades Formativas)
Ana Paula Carneiro – Presidente Prudente

16h – Cantação de histórias (Chamamento Aldir Blanc)
Beto Brandão – São José do Rio Preto

16h30 – Pequeno – Episódio 2 (Literatura que ecoa)
Cia. Bardos de Teatro – São José do Rio Preto

17h – Histórias de macaquices (Contação de História)
Mandingueiras da Pracinha – São José do Rio Preto

19h – Marlene Massaroca (Inventário de Oralidade)
Massaroca: casa de brincar – Ituiutaba/MG

20h – Histórias da Índia (Contação de Histórias)
TeceContos – São José do Rio Preto

21h – Zona Contaminada (Literatura que ecoa)
Cia. do Santo Forte – São José do Rio Preto

Sexta-feira, dia 21

09h – Abaixo a moral e os bons costumes!: Protagonistas controversas que amamos odiar (ou que odiamos amar) (Atividade Formativa)
Bruna Venâncio – São José do Rio Preto

11h – Colapso Mpeg (Vídeo Poema)
Junykp – São José do Rio Preto

11h30 – O Pequetito (Contação de Histórias)
Cia Apocaliptica – São José do Rio Preto

12h – NINHO: colo e literatura para bebês (Podcast)
Sutilezas Poéticas – São José do Rio Preto

13h – Zines Digitais para professorxs (Atividades Formativas)   
Camila Melo – São José do Rio Preto

13h – Poesia Sonora (Atividades Formativas)
David Biriguy – Belo Jardim/PE

15h – Clube do Livro – Ketlin Santos
Livro – “O Sol na Cabeça”

16h – O Príncipe Medroso (Contação de Histórias)
Cia Apocaliptica – São José do Rio Preto

16h30 – Pequeno – Episódio 3 (Literatura que ecoa)
Cia. Bardos de Teatro – São José do Rio Preto

17h – Vamos juntas? (Contação de história)
Educand”Arte – São José do Rio Preto

19h – Zine feminista: datilografias de fúria & saudade (Lançamento de Livros) 
Camila Puni – São José do Rio Preto

20h – Kamishibai Brasil – História na Palma da Mão (Contação de história)
Sandra Lane – Belo Horizonte/MG

21h – Show Trovalírica (Literatura que ecoa)
Trovalírica – São José do Rio Preto

Sábado, dia 22

09h – O Que é Literatura? A Sublime Viagem da Escrita ao Livro Publicado (Atividades Formativas)
Lucas Limberti – São Paulo

09h – Escrita de Biografias (Atividades Formativas)
Raul Marques – São José do Rio Preto

11h30 – Histórias Antiprincesas (Contação de história)
Espanhol Minuto – São José do Rio Preto

12h – O teatro dos Bonexcluídos (Atividades Formativas)
Akila Moreira – São José do Rio Preto

12h – O poético, o político e o educativo do direito humano à literatura (Podcast)
 Bel Mayer – São Paulo

13h – O lado negro da França: um panorama das artes francófonas de origens africanas (Atividades Formativas)
Patrícia Carvalho e Monelise Vilela – São José do Rio Preto

15h – Rodinha Literária: “Lygia Bojunga e a Bolsa Amarela” (Chamamento Aldir Blanc)
Casa de Criar – São José do Rio Preto

16h – S.O.S Quase Tudo (Literatura que ecoa)
Priscila Jacomo – São Paulo

16h30 – Pequeno – Episódio 4 (Literatura que ecoa)
Cia. Bardos de Teatro – São José do Rio Preto

17h – Conta Maria (Contação de história)
Maria Teixeira Campos – Salvador/BA

17h30 – O ovo ou a galinha (Contação de Histórias)
Glaucio Camargos – São José do Rio Preto

19h – Contramestre (Inventário de Oralidade)
Eddy Angoleiro – São José do Rio Preto              

20h – De Longe Também Existe Mágica (Chamamento Aldir Blanc)
Kadu Ilusionista – São José do Rio Preto

21h – Janelas Para Uma Mulher (Chamamento Aldir Blanc)
Cia Trilhas da Arte: Pesquisas Cênicas – Campinas

Domingo, dia 23

09h – Da menina negra à mulher preta: educação e identidade (Atividades Formativas)
Juliana Costa – São José do Rio Preto

10h – Contação de histórias: as narrativas indígenas em foco (Atividades Formativas)
Jessica Martins – Extremoz/RN

11h – Colapso Mpeg (Vídeo Poema)
Junykp – São José do Rio Preto

11h30 – Boi Tatá (Contação de Histórias)
Cia Apocaliptica – São José do Rio Preto

12h – Paulo Freire: Leitura de mundo e Leitura da palavra (Podcast)
Carol Manzatto – São José do Rio Preto

13h – Noções de língua e literatura galega (Atividades Formativas)
Carolina da Costa – São José do Rio Preto

13h – NEGRU-ME – Literatura Negro-brasileira (Atividades Formativas)
Ivan Reis – São José do Rio Preto

15h – Clube do Livro – Rafaela Nunes
Livro – “Hibisco Roxo”

16h – O Pequeno Senhor do Tempo (Chamamento Aldir Blanc)
Cia. Trilhas da Arte – Campinas

16h30 – Pequeno – Episódio 5 (Literatura que ecoa)
Cia. Bardos de Teatro – São José do Rio Preto

17h – A Loja de Relógios (Contação de história)
Mimos de Histórias – Paulista/PE

17h30 – Contos de distrair e brincar com a morte (Contação de Histórias)
Mafuane Oliveira da Cia Chaveiroeiro – São Paulo/ SP

19h – Moldura de lagartas (Lançamento de livro)
Susanna Busato – São José do Rio Preto

20h – Yabàs Divindades do Candomblé (Contação de história)
Eu + Tu – São José do Rio Preto

21h – Sarau Urbano
São José do Rio Preto

Sobre o Festival

O FrESTA é uma jornada literária, não-competitiva e totalmente online tendo a coordenação artística da contadora de histórias Kiara Terra e coordenação geral do contador Tiago Augusto Lima e como propósito principal o desdobramento da arte literária para além dos livros. O festival recebeu mais de 170 inscrições de grupos, coletivos, artistas e contadores de histórias de todo o país. A curadoria foi realizada por Kiara Terra, diretora artística, e Lawrence Garcia, Diretor da Cia. Apocalíptica e do FrESTA, que escolheram 46 projetos das cidades de Ituiutaba (Minas Gerais), Salvador (Bahia), Belo Horizonte (Minas Gerais), Extremoz (Rio Grande do Norte), Montenegro (Rio Grande do Sul), Paulista e Belo Jardim (Pernambuco), São Paulo (capital), Bertioga, Campinas, Presidente Prudente e São José do Rio Preto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *