23 e 24/7 – Leitura dramática – Musa

Dia 23/7 (terça-feira), às 19h, no Ibilce/Unesp, e dia 24 (quarta-feira), às 17h, no Sesc Rio Preto. Grátis


Há, ainda, quem atribua às mulheres, nas artes, o lugar da musa? Decerto, bancar o próprio desejo e realizar o gesto criativo exige um salto para além dos papéis sociais tradicionais. Embora haja contextos nos quais essas amarras permanecem mais apertadas, o circuito das artes tem apresentado possibilidades de outros destinos para as mulheres artistas, sobretudo com o fortalecimento da cena feminista na última década. Ao escrever Musa, a dramaturga Tauane Santo Forte insere-se na vertente que vem sendo chamada, entre outras denominações, de cena autoficcional. Lugar privilegiado nos palcos atuais para a elaboração de narrativas da intimidade, inscritas em lutas políticas contra opressões de gênero e sexualidade. A partir de uma identificação com a bissexualidade e a não monogamia, a artista deflagra uma criação que se propõe à metalinguagem, refletindo sobre as relações de poder e desejo nas artes. Para a leitura cênica, ela convida diferentes artistas a ocuparem o lugar da musa. Convoca, ainda, um repertório pessoal baseado em tarô, orixás e astrologia, além de episódios declaradamente biográficos, com que tece a dramaturgia. Com tais recursos, ensaia uma passagem da musa atribuída a um estereótipo feminino para a musa mítica como capacidade criativa.

Dia 23 de julho (terça-feira), às 19h
Biblioteca do Ibilce/Unesp (Rua Cristóvão Colombo, 2265)

Dia 24 de julho (quarta-feira), às 17h
Sesc Rio Preto (Av. Francisco das Chagas Oliveira, 1333)
Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto 2024
Grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *