24 e 25/7 – Dança – Aquilo que me move

Dias 24 e 25/7 (quarta e quinta-feira), às 19h, no Teatro Municipal Nelson Castro. Ingressos esgotados


Há um bonito, e ainda discreto, movimento em curso na cena contemporânea de atenção às memórias e marcas de um corpo experiente. Isso exige um deslocamento do lugar de onde a juvenilização da cultura nos põe a olhar fixamente para imagens filtradas de uma adolescência eterna. Não está aí o vivo. Livres desta apertada faixa etária, de altura, peso e performance, os corpos nos lembram de que podem outras texturas, gestos, modos. Outras danças. Basta nos interessarmos por eles. Aos 60 anos, após meses acamada para cuidar de um mal-estar físico, a bailarina Zilda Arali encontrou-se ainda desejante de dançar. Já não o faria tal qual em outros tempos, mas por que não experimentar como seu corpo de agora dança? Este é o movimento que inaugura o solo Aquilo que me move, coreografado por Andressa Miyazato. O corpo vivido, vívido, ensaia dançar um autorretrato. Zilda olha-se no espelho e na imagem de uma fotografia antiga. Instantes passados, que constituem uma identidade sem nunca apreender o tempo movente. Para dar contornos a essa dramaturgia, as artistas servem-se dos pensamentos de Roland Barthes em Câmera Lúcida (ou A Câmara Clara), quando conceitua o momento decisivo, aquele instante fugidio e pleno de significação capturado em uma imagem, e que nos reenvia à nossa mortalidade. Aquilo que move além da perda.

Dias 24 e 25 de julho (quarta e quinta-feira), às 19h
Teatro Municipal Nelson Castro (Av. Feliciano Salles Cunha, 1020)
Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto
Ingressos esgotados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *