Mirassol realiza programa Reviva Óleo com 5 mil alunos da rede de ensino, arrecadando 4 mil litros de óleo

O Lions Clube do Distrito LC-6 Mirassol, em parceria com a Prefeitura e o Departamento de Educação de Mirassol e a Sanessol, empresa do Grupo Iguá e Aviva Ambiental, realizaram o programa Reviva Óleo, que por meio de uma gincana entre estudantes promoveu a arrecadação e o descarte correto do óleo de cozinha usado, envolvendo aproximadamente 5 mil alunos da rede municipal de ensino.

Durante o projeto, as crianças arrecadaram juntas cerca de 4 mil litros de óleo, com participação das escolas: Cândido Brasil Estrela; Luís Carlos Matiel Pires; Wilson Paschoal; Bartyra de Aquino Noronha; Lauro Rocha; Maria Aparecida Panza D’Angeli; Lúcia Medina; Darcy Amâncio; e as creches Miguel Cione; Lucila Sarti; e Maria Luiza Domarco Marilu.

Na manhã desta segunda-feira (13/12), aconteceu a cerimônia de premiação em que foram entregues tablets para as unidades de ensino e os estudantes que mais arrecadaram. Pelo comprometimento com o projeto, todas as unidades escolares receberam o certificado de “Escola Amiga do Meio Ambiente”.

Segundo a gerente operacional da Sanessol, Renata Ferrarese, o Reviva Óleo vem ao encontro do plano estratégico de sustentabilidade da Iguá Saneamento, do qual visa transformar a empresa em referência nacional e internacional em questões de governança ambiental no saneamento. São quatro pilares essenciais, denominado SERR, são eles: – Segurança hídrica; Eficiência na produção e distribuição de água; Responsabilidade na coleta e tratamento de esgoto; e Respeito às pessoas.

 “Acreditamos que colocar a sustentabilidade em pauta desde cedo, por meio de projetos como este, é investir na formação de uma geração consciente sobre a importância da conservação do meio ambiente para a vida de todos. As crianças são fortes formadores de opinião e levam para suas casas o aprendizado, impactando seus familiares e toda a comunidade”, explica Renata.

Confira 4 fatos que comprovam a importância do Reviva Óleo:
1 – O óleo pode aderir às paredes das tubulações e reter partículas sólidas, causando assim a obstrução. Nesse caso, ocorre o retorno do efluente para as residências, ruas e até corpos hídricos. A rede coletora é a responsável por tirar o esgoto dos imóveis e levar até as estações de tratamento.

2 – Esse problema pode ser agravado em dias de chuva, ainda mais nos casos de imóveis onde não existem redes individuais, deixando a tubulação sobrecarregada e com a possibilidade de causar extravasamentos. As residências precisam ter a rede de esgoto, usada para levar a água de banhos, lavagem de louça e roupas e descarga do vaso sanitário às Estações de tratamento da Sanessol. E a galeria para as águas pluviais, que transporta e drena toda a chuva das áreas urbanas até os rios, córregos ou canais. Quem faz a manutenção é a prefeitura do município.

 3 – Quando despejado em rios, o óleo forma uma camada que impede a passagem do oxigênio prejudicando toda a vida dos animais.

4 – O lançamento nas lagoas de tratamento ocasiona o desequilíbrio ecológico/microbiológico, o que prejudica a eficiência do serviço de esgotamento sanitário.

Os vencedores:

Escolas
Cândido Brasil Estrela – 882 litros.
Luís Carlos Matiel Pires – 804 litros.
Wilson Paschoal – 649 litros.
Bartyra de Aquino Noronha – 490 litros.

crédito da foto: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Mirassol

Alunos
André Luis da Silva Pupo – 2° ano, professora Aurea Regina da Silva Vieira da escola Lucia Medina Estrela Oliverio, com 203 litros.
Luan Henrique Santana Pelican – 4° ano ano, professora Maria Madalena da Silva, da escola Cândido Brasil Estrela com 147 litros.
Murilo Antonio Teodoro – 4° ano, professora  Ana Carla da Silva Teixeira, da escola Maria Aparecida Panza de Angeli com 146,5 litros.
Giulia Kolentak dos Santos – 3° ano, professora Amélia Cristina Fava Scavacini, da escola  Luis Carlos Matiel Pires , com 123 litros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *