Movimento Diversa Beleza ressignifica os estereótipos na publicidade

As marcas O Boticário, Quem Disse, Berenice?, Eudora, Vult, O.U.i e Australian Gold,  do Grupo Boticário, lançam o movimento Diversa Beleza, a iniciativa é mais um passo na jornada de ESG do grupo, que acumula cases de diversidade, equidade de gênero e empoderamento feminino.

Por meio deste movimento, as marcas assumem como compromisso a retirada de termos que impõem padrões de estéticos de embalagens de novos produtos e comunicações até 2024, além de cocriar em março, edição inédita do banco de imagens Mulheres (In)Visíveis, em parceria com a consultoria 65|10, especializada em mulheres.

O Grupo Boticário reforçou no começo de 2021, sua agenda ESG com o lançamento de 16 compromissos de futuro, sendo seis deles com o propósito de alavancar a diversidade, equidade e inclusão até 2030. O Diversa Beleza chega para potencializar o compromisso #13 – Garantir que a comunicação das marcas represente a população brasileira, sem vieses e estereótipos de nenhum tipo até 2030.

O movimento traz a terceira edição do banco de imagens Mulheres (In)Visíveis,em parceria com 65|10, consultoria criativa, que vai retratar a diversidade de tipos de pele, para além dos tons: texturas e condições, como acne e melasma terão protagonismo nas imagens. Para Renata Gomide, Diretora Executiva de Marketing do Grupo Boticário, a iniciativa é uma oportunidade de falar sobre amor e aceitação.

Outra iniciativa que marca o movimento é o compromisso de retirar os termos “normal” e “perfeito” das embalagens – entendendo que eles podem contribuir e, até mesmo, reforçar a formulação de padrões estéticos. A retirada vem como uma evolução da retirada de “clareamento” em 2020, entendendo a problemática de seu uso. “Acreditamos muito na potência do movimento e da importância de debatermos e questionarmos os estereótipos de beleza”, explica Renata.

Em parceria com a Aliança Sem Estereótipos, o Grupo Boticário começa 2022 promovendo capacitações para todos os colaboradores dos times de comunicação e para a cadeia de fornecedores.  O treinamento vai se desdobrar em um guia de boas práticas que será fornecido para os times de comunicação, franqueados e revendedores.

3ª edição Mulheres (In)visíveis | Diversidade de Pele

O projeto será protagonizado por mulheres com peles que retratam parte da diversidade da mulher brasileira em etnias, cores, texturas e condições como acne, melasma e vitiligo. O casting foi selecionado com olhar atento ao fortalecimento de identidade e descentralização do conhecimento e protagonizará uma edição inédita do banco de imagens Mulheres (In)Visíveis.

Criado pela consultoria criativa 65|10, que é especializada em mulheres, o projeto surgiu em 2016 com objetivo de estampar em imagens publicitárias a mulher brasileira, aquela que vemos nas ruas. As edições anteriores tiveram como protagonistas e criativas mulheres negras, gordas, lésbicas e trans, além de mulheres acima de 45 anos.

Para clicar o projeto, o nome selecionado foi a promissora fotógrafa cearense Karla Brights, com amplo repertório em editoriais de moda e beleza. Já a produção é da Silva, produtora nascida e criada nas periferias do Rio de Janeiro, que tem como pilar criar narrativas visuais a partir de um olhar periférico. O projeto, que fica pronto em março, disponibilizará 50 fotos de mulheres em que a pele aparece como protagonista, em planos amplos e de detalhes. Além de estamparem as futuras campanhas e ações das marcas nas redes sociais, a seleção também estará disponível para download.

Texto: Fernanda Peixe / Notícias do Bem
Fotos: Divulgação / Conceito Comunic / O Boticário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *