Confira a programação deste final de semana do Janeiro Brasileiro da Comédia

O espetáculo do Rio de Janeiro, “Um Musical de Palhaças –  Cada Uma no Seu Quadril”, da Cia. “As Marias da Graça”, é a atração desta sexta-feira, 25/3, às 20h, no Teatro Municipal Paulo Moura, dentro da programação do Janeiro Brasileiro da Comédia (JBC).

Com duração de 45 minutos e classificação indicativa de 14 anos, a apresentação tem entrada gratuita. Os ingressos são distribuídos no local, uma hora antes do início do espetáculo.

Sobre a peça

UM MUSICAL DE PALHAÇAS – foto: Samantha Anciães

A montagem revela os bastidores de um teste para um musical, por meio da vivência de três palhaças. Nesta nova investida do grupo, conhecido pelo pioneirismo em seus projetos, as palhaças Geni Viegas, Karla Concá e Samantha Anciães mostram-se multifacetadas com uma encenação que mescla dança, canto e a linguagem circense para revelar as dores e as delícias que é passar pela audição de um musical.

A comicidade e a singeleza da palhaça, somadas à expressividade corporal dos números de dança, garante um espetáculo dinâmico e engraçado ao expor os desafios e as conquistas dos artistas no desenrolar de um dia de avaliação cênica.

Outras atrações

Nesta sexta, mais cedo, às 18h30, no Teatro Nelson Castro, tem a primeira de uma série de três apresentações da Cia. Cênica de Rio Preto, com o espetáculo Sabiás do Sertão, que conta a história da dupla Cascatinha e Inhana.

Confira a programação completa do festival em:  www.riopreto.sp.gov.br/2022jbc .

PROGRAMAÇÃO JANEIRO DA COMÉDIA –SEXTA, 25 E SÁBADO, 26/3

ESPETÁCULO UM MUSICAL DE PALHAÇAS – CADA UMA NO SEU QUADRIL –As Marias da Graça -Rio de Janeiro

25/3, sexta-feira, 20h – Teatro Municipal Paulo Moura
Duração: 45 minutos
Faixa etária recomendada: 14 anos

Workshop

Metodologia da dramaturgia na palhaçaria feminina
26/3, sábado, 10h às 13h – Casa de Cultura Dinorath do Valle
Programa: Abordagem da metodologia do grupo e pontuação da diferença entre a dramaturgia da palhaçaria feminina e a palhaçaria tradicional.

O workshop visa esclarecer, compartilhar e trazer à tona essa (nova) dramaturgia da palhaçaria
feminina. Como é criar um espetáculo a partir do que se tem, em essência, e de quem se é.
Espera-se como resultado o impulsionamento dos debates sobre o tipo de humor que se faz na palhaçaria e as formas de superar abordagens violentas e preconceituosas nas dramaturgias tradicionais.
Público:  Palhaças/os, atores, atrizes e estudantes de teatro, a partir de 15 anos.
Capacidade: Até 20 pessoas.

ESPETÁCULO SABIÁS DO SERTÃO – Cia Cênica – São José do Rio Preto

SABIÁS DO SERTAO – Foto Ruy Barbosa Jr

25/3, sexta-feira, 18h30 – Teatro Municipal Nelson Castro
26/3, sábado, 18h30 – Centro Cultural Vasco
27/3, domingo, 20h – Praça dos Esportes e da Cultura – Distrito de Engenheiro Schmitt
Duração: 70 minutos
Faixa etária recomendada: Livre

Sinopse: O espetáculo trata dos expoentes da música caipira, Cascatinha & Inhana, primeira dupla sertaneja formada por marido e mulher que, em sua trajetória, reverencia com primazia a cultura de raiz, o ser, estar e viver artista, o prazer da canção e do encantamento.

O circo e o rádio, presentes na trajetória da dupla, são trazidos à cena por uma companhia ambulante de teatro, com artistas rapsodos (trovadores) que contam, vivem, tocam, dançam e cantam um pouco da vida e muito do rico repertório de toadas, guarânias, rasqueados, boleros, rancheiras e canções imortalizadas nas vozes destes “sabiás do sertão”.

ESPETÁCULO O PERRENGUE DA LONA PRETA – Trupe Lona Preta – São Paulo

26/3, sábado, 20h – Teatro Municipal Paulo Moura
Duração: 60 minutos
Faixa etária recomendada: Livre

Sinopse:  O “sagrado” direito à propriedade privada, símbolo da cultura oficial, é reinterpretado no espetáculo, que é inspirado na tradição circense.
Nele os palhaços Rabiola e Chico Remela reconstroem, de forma divertida, os símbolos, pretensamente eternos da ordem vigente.

MASTER CLASS – PALHAÇARIA CONTEMPORÂNEA – Hugo Possolo – Parlapatões, Patifes e Paspalhões -São Paulo/SP

25 e 26/3, sexta e sábado, 14h às 18h – Casa de Cultura Dinorath do Valle

Os atuais desafios da arte da palhaçaria, passando por seus gêneros e sua história, são tratados tanto pela abordagem teórica quanto por exercícios práticos. Dos recursos clássicos às tendências e vertentes contemporâneas é trabalhada a visão crítica da arte de fazer rir, de origem no grotesco e que se pauta na ingenuidade de seu arquétipo, para inserir sua função social no mundo contemporâneo. Enfim, de como uma arte historicamente caracterizada por sua base medieval e depois pelo classicismo pode estar inserida e se confrontar com o contexto da arte produzida nesse século em que estamos vivendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *