Palestina tem um dos menores índices de perda de água do Brasil

A redução é o resultado de um trabalho sério e comprometido realizado pela equipe da Esap com ações voltadas para o bem-estar da população e respeito à água

O Instituto Trata Brasil, em parceria com a Asfamas (Associação Brasileira dos Fabricantes de Materiais para Saneamento) e GO Associados, divulgou recentemente o estudo Perdas de Água 2021 (SNIS 2019): Desafios para disponibilidade hídrica e avanço da eficiência do saneamento Básico.

O documento mostra que as perdas na distribuição no Brasil estão em 40,58%, o que significa mais de 7,5 mil piscinas olímpicas de água desperdiçadas diariamente, gerando uma perda financeira de R$13,6 bilhões.
Na Esap, empresa do Grupo Iguá e Aviva Ambiental, a eficiência na gestão dos recursos hídricos é um dos pilares das ações de sustentabilidade e o resultado disso é o registro de um dos menores índices de perdas de água do Brasil.

“Com uma equipe técnica especializada e constantes investimentos, conseguimos atingir uma média de 9,77% de perdas nos últimos 12 meses, índice bem abaixo da média nacional. É um orgulho para nossa equipe conseguir esse resultado tão satisfatório para o município”, relata o diretor operacional da Esap, Luís Guilherme Bizelli.

Para alcançar esse índice, a empresa realiza:

● acompanhamentos diários de perdas de água nos sistemas de distribuição com pesquisas de vazamentos e por meio da mínima noturna (técnica utilizada para medir a vazão de água)

Aparelho Geofone que identifica o local exato do vazamento

● haste de escuta mecânica nos cavaletes residenciais da cidade

● geofone que identifica o local exato do vazamento para que a manutenção seja efetuada no menor prazo possível.

● a população é convocada a participar desse processo por meio de campanha de conscientização no combate a vazamentos internos nos imóveis.

● ações de combate a fraudes.

● setorização dos sistemas de água da cidade.

O que pode causar perda de água

No processo de abastecimento de água por meio de redes de distribuição podem acontecer perdas do recurso hídrico em decorrência de variadas causas, como:

  1. vazamentos
  2. erros de medição
  3. consumos não autorizados (fraudes).

Desafios do Brasil

Quando se compara os indicadores de perdas de água do Brasil com os padrões de países desenvolvidos, observa-se que o sistema de abastecimento ainda apresenta grande distância da fronteira tecnológica em termos de eficiência.

A média nacional das perdas de faturamento total em 2019 foi de 40,58%, 25 pontos percentuais acima da média dos países desenvolvidos, que é de 15%, e 5 pontos percentuais acima da média dos países em desenvolvimento, que é de 35%.

“A Segurança Hídrica é um dos pilares do plano estratégico de sustentabilidade da Iguá. Esses números macros nos mostram que estamos agindo localmente no caminho certo, cuidando desse recurso tão importante que é a água.
Nós entendemos que o saneamento é uma força de transformação social e olhamos com atenção e respeito para a população, melhorando a qualidade de vida e saúde”, esclarece Bizelli.

Para saber mais informações sobre a Esap, acesse www.igua.com.br/esap.

Fonte: Trata Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *