Parceria entre museus rende exposição virtual sobre Inhana

Uma parceria entre a Secretaria de Cultura de Rio Preto e a Prefeitura de Araras disponibilizou o acervo da Sala Cascatinha & Inhana, que pertence ao Museu Municipal local, para a realização da exposição virtual permanente – “Inhana – a Voz de Araras”.

A iniciativa é da Prefeitura de Araras, por meio da sua Secretaria de Cultura, em razão dos 98 anos de nascimento da cantora, que era ararense, comemorados em 28/3 deste ano. Ao lado de Cascatinha, seu marido, ela formou uma das principais duplas sertanejas do Brasil

A exposição está disponível, por meio do link:  https://sites.google.com/view/exposicaoinhana

Sobre a exposição

A exposição presta homenagem à ararense Ana Eufrosina da Silva Santos, (1923-1981), popularmente conhecida como Inhana, grande figura da música brasileira que junto ao seu companheiro Cascatinha compôs uma das duplas de maior sucesso da música sertaneja no Brasil, com destaque nas décadas de 1950 a 1970. 

Cascatinha e Inhana acervo pessoal Marcelo dos Santos

Cascatinha & Inhana foi uma dupla sertaneja formada por Francisco dos Santos (Araraquara 20/4/1919 – Rio Preto 14/3/1996) e Ana Eufrosina da Silva (Araras 28/3/1923 – São Paulo 11/6/1981). Marido e esposa, juntos, formaram uma das principais duplas sertanejas do Brasil. Suas mais famosas músicas foram Índia (1952) que os levou a um grande sucesso; Meu Primeiro Amor (também de 1952); e Colcha de Retalhos (1959).

Integrando uma iniciativa mais ampla de retomada das atividades de coleta, preservação e difusão de memórias pela Casa da Memória de Araras, o projeto da Secretaria Municipal de Cultura daquele município foi realizado com a colaboração de servidores de outros setores da administração pública municipal (Departamento de Tecnologia, Câmara Municipal de Araras [historiadora e intérprete de libras), munícipes voluntários e parceria com o Museu Municipal de Rio Preto, que possui a Sala Cascatinha & Inhana.

Desenvolvimento

Para a exposição foram realizadas ações de pesquisa, prospecção, identificação e fotografia de acervo; escrita de textos; seleção de iconografias e elaboração e montagem de site. A exposição, segundo os realizadores, é importante para a valorização da ararense Inhana, para a recuperação, preservação e divulgação de sua memória, ainda pouco difundida em sua cidade natal, apesar do importante papel ocupado pela artista na música popular brasileira. 

O objetivo foi celebrar a mulher e artista Inhana, no momento atual de isolamento gerado pela pandemia da covid-19, e que faz parte também de uma preocupação e cuidado em homenagear todos os trabalhadores da cultura que lutam para sobreviver nesse contexto de incertezas. Para os realizadores, valorizar Inhana é também trazer à tona questões étnicas e de gênero, dando lugar a personagens que pertencem a grupos historicamente invisibilizados e excluídos das narrativas oficiais, como os negros e as mulheres. 

Parceria com Rio Preto

Inhana jovem

O Museu Municipal de Rio Preto tem uma sala dedicada à dupla Cascatinha & Inhana, com acervo que inclui documentos, fotografias, jornais, prêmios e objetos pessoais. A parceria com a instituição permitiu que funcionários da Secretaria de Cultura de Araras fotografassem o acervo utilizando as imagens para a composição da exposição. Todas as fotografias realizadas foram compartilhadas com o Museu Municipal de Rio Preto para ser guardadas em seu banco de imagens.

A Sala Cascatinha & Inhana (no museu de Rio Preto) guarda e expõe a coleção doada pela viúva de Cascatinha (segunda esposa) dona Helena, que viveu seus últimos dias em Rio Preto. 

Desdobramentos

A realização da parceria com o Museu Municipal de Rio Preto para a exposição sobre Inhana gerou dois convites de importantes eventos da área museológica no Estado de São Paulo.

O primeiro é o Encontro de Museus Históricos, promovido pelo Museu da Imigração, em parceria com o Sistema Estadual de Museus  (Sisem-SP) com o tema “Futuro dos museus históricos”. O convite é para participar da mesa “Desafios comuns, soluções em rede: os museus podem fazer melhor juntos?”, que irá refletir sobre a importância e as diversas possibilidades de parcerias com outras instituições. O evento será realizado de forma on-line, no dia 20/5/2021 das 16h10 às 17h30.

Casamento de Cascatinha e Inhana – acervo Wenilton Daltro

O encontro terá mediação de Luiz Mizukami (Sisem-SP), com participação de Larissa Rizzatti (Casa da Memória, Araras – SP); Thais de Freitas (Museu Municipal Rio Preto) e Marcela Rezek (Museu do Café, Santos SP). Mais informações no site: https://museudaimigracao.org.br/

A segunda participação será no Encontro Paulista de Museus Itinerante, principal evento do setor de museus do Estado de São Paulo. A exposição foi indicada para apresentação na categoria “Apresentação de Painéis”, pela comissão curatorial do evento, por considerarem que “ações em parceria conseguem promover economicidade no uso dos recursos e promovem também a visibilização dos acervos dos museus envolvidos”. A apresentação da ação será no dia 15/6, dentro da programação do evento, de forma virtual, contando com a participação de Larissa Rizzatti Gomes, representando a Casa da Memória de Araras e Thaís de Freitas, representando o Museu Municipal de Rio Preto. Mais informações no site: https://www.sisemsp.org.br/epm/. De acordo com a Secretaria de Cultura de Araras, a exposição virtual também será permanente de forma presencial, quando a pandemia da Covid-19 terminar, com espaço garantido e exclusivo na Casa da Memória Pedro Pessotto Filho, para receber visitas.

Texto: Josy de Sá / Secretaria de Comunicação de São José do Rio Preto
Fotos: Sala Cascatinha & Inhana, acervo pessoal Marcelo dos Santos e acervo Wenilton Daltro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *